Segundo a We Are Social, em Portugal, são mais de 6 milhões o número de pessoas com presença nas redes sociais. A mesma fonte cita ainda que Youtube, Facebook e Instagram são as redes mais utilizadas. De referir que estes dados são referentes a 2018.

As redes sociais são excelentes canais para criar conexões, relações e “engagement”. No entanto, estas apresentam-se para as marcas um canal de vendas extremamente interessante e é nesse sentido que vamos centrar este artigo.

Vivemos numa altura em que mobile e redes sociais, são combinações explosivas para quem tem um ecommerce, e pretende gerar receitas para o seu negócio. Esta é também uma fase em que o Social Commerce ganha cada vez mais tração e que, com a integração de métodos de pagamento dentro das plataformas terá que merecer uma atenção mais refinada da sua parte.
Para este artigo, iremos focar principalmente Facebook e Instagram, mas caso pretenda saber algumas dicas sobre Anúncios em Youtube recomendo ler este artigo do meu amigo Roberto Cortez.

Tenha atenção a duas ferramentas muito relevantes: Os Chatbots integrado com Messenger e automação e o WhatsApp particularmente a versão Business. E porquê? É bem provável que já tenha a opção de anunciar para o WhatsApp no Business Manager.

Se tiver uma lista de contactos telefónicos bem qualificada, imagine a janela de oportunidade que pode gerar para os clientes que já o conhecem. Se tiver um bom CRM com toda a informação atualizada sobre o comportamento dos seus clientes pode 1) realizar cross sell de vendas ou 2) aumentar o life time value com campanhas que gerem valor para o seu cliente ou 3) trabalhar numa perspetiva de suporte ao cliente.

Uma nota: precisa de ter o seu número “ligado” à sua página de Facebook

Este artigo passa por lhe apresentar os formatos que na minha experiência lhe podem gerar mais retorno e receita, no entanto, teste e não tome nada do que lhe digo como certo e teste por si para perceber o que RESULTA no seu negócio.
Deixo-lhe uma história recente. Trabalhei uma pequena loja online de jeans e que tinha um objetivo claro: Vender calças de ganga. Todas as campanhas que fazia, e acredite que testei várias, não estavam a resultar tão bem como uma campanha no Messenger. O que estava a acontecer era que as pessoas eram impactadas pela campanha, pediam informações, visitavam o site, mas era no Messenger que fechavam a venda com o print da transferência e a morada para entrega. E estamos a falar de uma diferença incrível (na ordem dos 70%) quando comparado com campanha de conversões ou de carrossel. Por isso fica a sugestão: teste.

Antes de avançar, existem alguns passos que tem de assegurar primeiro para que a “coisa” funcione bem.

Em primeiro lugar deve ter uma página no Facebook, um perfil empresarial no Instagram e ambas as contas ligadas. Trabalhe numa boa estratégia de conteúdos e gere valor para a sua comunidade. Nunca se esqueça que o foco são as pessoas.

Em segundo lugar precisa de criar uma conta no Business Manager e avançar para a criação de uma conta de anúncios. Assim, irá fazer uma gestão mais profissional e ter acessos a opções mais “giras” para tirar o máximo partido da plataforma.

Em terceiro lugar deve instalar o pixel do Facebook em todas páginas bem como eventos padrão nas páginas do site da respetiva “categoria” a que corresponde o evento padrão. Existem 4 que destaco quando falamos em Ecommerce:

  • Lead;
  • Personalizar Produto;
  • Adicionar ao Carrinho;
  • Comprar.

Se tiver acesso ao Google Tag Manager, consegue fazer este processo de uma forma bem mais simples do que “bater código”.

Em quarto lugar, recomendo que crie um catálogo de produtos e faça o respetivo upload na plataforma do Business Manager. Se tiver poucos produtos, pode criar a Loja através da sua página no Facebook, no entanto a recomendação que lhe deixo é realizar este processo através do Business Manager. Vai precisar disto para fazer umas “coisas engraçadas”.

Em quinto e último lugar, aposte logo na criação de diversas audiências através de públicos personalizados e audiências semelhantes. Vai conseguir lá na frente retirar maior partido das campanhas aquando da segmentação.

Então vamos lá aos 4 formatos que pela minha experiência funcionam muito bem em Ecommerce:

  • Carrossel Ads
  • Collection Ads;
  • Dynamic Ads;
  • Vídeo Ads;

Carrossel Ads – Certamente já se “cruzou” com este formato. Estão disponíveis no Facebook e no Instagram, seja em desktop seja em mobile.

São um formato muito interessante para quem trabalha Ecommerce. Através do carrossel ads, consegue partilhar vários produtos em imagem ou vídeo, adicionar descritivos, call to action e links para as respetivas páginas dos produtos no seu website.

Uma nota positiva deste formato é, ao nível do report, conseguir verificar qual a “moldura” que gerou mais cliques e comparar, por exemplo, com Analytics para ver se corresponde ao produto que foi mais foi vendido.

Uma dica que lhe deixo é: Seja criativo com este formato. Pode por exemplo aproveitar todas as molduras do carrossel ads para apresentar uma imagem em grande destaque ou até mesmo contar uma história sobre a utilização ou benefício do seu produto. Uma das minhas últimas experiências passou por criar um carrossel ads tendo por base UGC de consumidores a utilizarem o meu produto em diferentes contextos. O CPC foi muito interessante.

Carrosel Ads

Collection Ads – Trata-se de um formato “recente”, mas extremamente poderoso. 100% mobile, este formato funciona no Facebook e no Instagram, conferindo uma experiência verdadeiramente imersiva com os produtos da marca.

Os collection ads, permitem adicionar um vídeo ou imagem de grande destaque, podendo complementar com um máximo de 50 produtos em formato (imagem ou video). Pode ser interessante testar este formato totalmente orientado para determinadas categorias de SKU ou por combinação de produtos, aumentando assim a oportunidade de cross selling.

O meu último teste passou por criar uma campanha com este formato, que tinha como segmentação uma Lookalike Audience, permitindo-me assim, dar a conhecer a minha gama de produto a um target potencialmente relevante, mas que ainda não conhecia os mesmos.

Facebook Collection Ads

Dynamic Ads – A par dos Collection Ads, estes são os meus favoritos. Funcionam em Mobile e Desktop, sendo “visíveis” no Facebook, Instagram, Messenger e Audience Network.

O porreiro deste formato é o facto de criarmos uma campanha que vai “buscar” automaticamente imagens e descritivos do catálogo dos seus produtos, que carregamos previamente. Falamos disso no ponto 4, recorda-se?

Com este formato, convém frisar que já estamos num estágio do funil mais avançado. Os Dynamic Ads, utilizam a informação que o Pixel recolhe do nosso website e apresenta os anúncios a pessoas que já demonstraram interesse e interagiram com os nossos SKU.

Convém ter em conta que podemos também criar Dynamic Ads para pessoas que não visitaram a nossa Loja Online. Ao definir o objetivo da sua campanha – Tráfego ou Conversão – o Facebook vai apresentar os produtos mais relevantes do seu catálogo e que sejam mais propensos à conversão. Esta é uma estratégia muito interessante, caso pretenda alcançar mais compradores e criar posteriormente audiências.

E aqui, pode ir um pouco mais além. Numa fase final do funil para dar aquele push imagine o seguinte cenário: Entra no site de uma marca de café para comprar as cápsulas amarelas, adiciona o produto ao carrinho, mas não realiza a compra, porque o telefone tocou e acabou por abandonar o carrinho. A meio da tarde está no Facebook ou no Instagram e “por magia”, lá está a cápsula amarela, ainda por cima com um voucher. É este o poder dos Dynamic Ads, aqui em modo remarketing.

Dynamic Ads

Video Ads – Não podia deixar de referir este formato. Numa fase em que o vídeo “domina” como tipologia de conteúdo preferido, utilizar este formato é uma excelente estratégia para dar a conhecer o seu produto de forma mais detalhada.

Numa perspetiva de performance os CPV que obtemos são bem simpáticos. Chego a conseguir campanhas em que o valor ronda 0.02€. O “segredo” numa perspetiva de ecommerce, consiste em criar campanhas de remarketing, para pessoas que viram determinada % do vídeo, utilizando mensagens fortemente táticas com o foco na conversão e com referência ao produto visualizado no vídeo.

Antes de terminar, 3 formatos que também recomendo utilizar:

  1. Page Post Link Ad: São formatos simples em que o foco é gerar tráfego para o seu website. E em que medida é que são interessantes? Com este formato, consegue alimentar o pixel,que instalou no seu site, com tráfego qualificado para que posteriormente os possa impactar novamente com mensagens mais direcionadas.
  2. Storie Ads: Em breve as Stories serão o novo feed do Instagram, tal é o consumo deste formato. No Facebook, apesar estarem em crescimento, ainda não apresentam os mesmos resultados pelos testes que vou fazendo. Através de campanhas direcionadas para o formato Stories, consegue ocupar o ecrã na totalidade e apresentar o seu produto com um link para a Landing Page para assim gerar a conversão. Não é um formato ainda muito explorado, por isso merece a sua atenção.
  3. Remarketing: Não é um “formato”, mas é obrigatório considerar na sua estratégia. É um “bombeiro”, pois criando várias audiências de acordo com o comportamento que tiveram quer no website quer no Facebook e Instagram, pode voltar a impactar os seus consumidores, direcionando-os no funil para um nível mais fundo. É sabido que poucos são os que compram no primeiro contacto que têm com o produto, pelo que, o remarketing é fundamental para obter mais conversões e com um valor mais baixo.

E desse lado?

Que estratégias de Social Media Advertising estão a resultar no seu negócio de ecommerce? Procure-me pelo Linkedin (in/marciodpmiranda/) e deixe-me uma mensagem com os seus comentários e dicas para que eu possa aprender com vocês.

Boas campanhas!